quarta-feira, 7 de novembro de 2007

Seu pão pode não ser light como você imagina (e paga por)

Tinha a impressão de que seu pãozinho light estava engordando você? E estava mesmo.
A Delegacia do Consumidor (Decon) instaurou um inquérito para apurar as irregularidades em pães de forma que se auto-intitulavam light (que possuem redução de valor energético ou conteúdo de gorduras ou açúcares, ou, ainda, aumento nos valores de fibras alimentares, vitaminas e ou minerais) ou com "baixas calorias". As denúncias foram veiculadas no Fantástico a partir de análise do Inmetro.
Foram testadas oito marcas de seis diferentes fabricantes. Segundo o Inmetro, os produtos não apresentavam as informações exigidas no rótulo e exibiam textos que não são permitidos nas embalagens.
De acordo com o Inmetro, a tendência dos pães light comercializados no mercado nacional "é de estar em desacordo com as legislações vigentes". As embalagens passam a idéia de que os pães proporcionam mais saúde, o que não foi comprovado. Em sete marcas havia maior quantidade de gordura do que indicado na embalagem.
Segundo nota divulgada pela Decon, "todos os fabricantes que tiveram os seus produtos analisados serão indiciados por crimes contra o consumidor".

A resposta das empresas:
A Bread's, fabricante do pão Multigrãos afirma "que vai revisar os rótulos e admite a hipótese de erro no teor de gorduras totais".

A Bimbo do Brasil, fabricante de três das oito marcas testadas, informa que não produz mais o pão com flocos de aveia do Carrefour, que vai reavaliar a composição nutricional do pão Plus Vita e que não concorda com o resultado do teste no pão com grãos e proteína de soja da Pullman.
A Seven Boys diz que vai reavaliar os rótulos, mas contesta a análise que reprovou o pão de centeio como light.
A Wickbold explica que pode não ter usado as mesmas metodologias do Inmetro na produção do pão.
A Firenze garante que vai retirar as frases irregulares do rótulo do pão 7 Grãos.
A Natuvitta diz que está fazendo alterações no rótulo e no pão integral light Naturalle para se adaptar à legislação.
As informações são do G1.
A análise completa pode ser encontrada em http://www.inmetro.gov.br/consumidor/produtos/pao_light.pdf

3 comentários:

Laurinha disse...

humpf! HUMPF!

Beijinhos,

Anônimo disse...

coisa triste, Rosane! Os caras mentem descaradamente, nao? E a gente pagando mais caro.
Beijao da Déia

Rosane Vargas disse...

E o valor do pão aumentou muito no último ano. Principalmente esses "especiais".
bjs, gurias