terça-feira, 1 de julho de 2014

Sopa de batatas e cenoura


Aproveitando a cesta orgânica e o tempo, que continua pra sopa, resolvi hoje inventar alguma coisa para quem estava com fome e, portanto, precisava de rapidez. O resultado foi uma sopa de creme de batatas e cenoura. Muito fácil de fazer, rápida e gostosa, teve a aprovação da Anaís. Fica muito boa acompanhada de croutons.

Ingredientes:
280g de batata-inglesa
150g de batata-doce
4 xícaras de chá de caldo de legumes
1 cebola média
1 cenoura média
pimenta-do-reino moída no hora a gosto
manjericão para guarnecer

Modo de fazer:
1. Descasque e corte em rodelas a batata-inglesa.
2. Descasque e corte em cubos a batata-doce.
3. Lave bem e corte em cubos a cenoura (deixei a casca).
4. Cozinhe esses legumes no caldo. Quando estiverem macios, acrescente a cebola, o sal e a pimenta. Quando estiver cozido, desligue e deixe amornar.
5. Liquidifique a sopa. Leve novamente ao fogo para aquecer, prove o sal e sirva. Guarneça com um raminho de manjericão.

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Sopa de abóbora e estragão


O frio continua, e eu mantenho meu intento de fazer novas sopas neste inverno. A sopa de abóbora e estragão é mais uma receita do livro Entradas e sopas, da coleção O prazer de cozinhar passo a passo, da qual já tratei várias vezes no blog. Passo, abaixo, a receita com minhas adaptações.

Aparentemente, é meio trabalhosa, é só uma impressão. A sopa fica pronta rapidamente, é saborosíssima e aquece muito. Fica ótima acompanhada de torradinhas.

Ingredientes:
1/4 de xícara de chá de manteiga
1 cebola grande cortada em rodelas
700g de abóbora okaido descascada e cortada em cubos
400g de batata descascada e cortada em fatias
1 dente de alho amassado
2 1/2 xícaras de chá de caldo de legumes
sal a gosto
pimenta-do-reino moída a gosto
1 colher de chá de estragão seco
2 1/2 xícaras de chá de leite
creme de leite para guarnecer
estragão seco para guarnecer

Modo de fazer:
1. Derreta a manteiga em uma panela, em fogo baixo. Frite nela a cebola, sem deixar dourar.
2. Junte à cebola a abóbora, a batata e o alho e tampe. Deixe amaciarem. É bom mexer de vez em quando para não grudar na panela.
3. Quando estiverem macios (não bem cozidos), adicione o caldo de legumes, o sal, a pimenta e o estragão. Depois que levantar fervura, conte 10 minutos e desligue. Espere amornar.
4. Quando amornar, bata a mistura no liquidificador.
5. Leve novamente à panela, com o leite. Reaqueça em fogo brando, sem deixar ferver.
6. Sirva, enfeitando com o creme de leite e o estragão.

sábado, 21 de junho de 2014

Sopa de cebola


O frio chegou e, com ele, as comidas quentes, entre as quais se sobressaem as sopas. Abri a temporada aqui em casa com uma sopa de cebola que havia anos eu queria fazer, mas, por motivo ou outro, acabava não fazendo.

A receita é do livro Entradas e sopas, da coleção O prazer de cozinhar passo a passo, do Círculo do Livro. Já escrevi sobre essa coleção outras vezes. É de 1993 e vale a pena se acharem em um sebo. Passo a receita conforme fiz, com algumas adaptações.

Ingredientes:
2 colheres de sopa de óleo
2 colheres de sopa de manteiga sem sal
2 colheres de chá de açúcar (usei mascavo)
2 dentes de alho amassados
5 xícaras de chá de caldo de legumes
1 1/4 xícara de chá de vinho branco seco
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto
6 fatias de pão italiano (eu não tinha, usei pão francês)
queijo prato ralado no ralo grosso

Modo de fazer:
1. Aqueça o forno em temperatura alta. Cubra as fatias de pão com queijo e leve ao forno até o queijo derreter e ficar levemente dourado. Reserve.
2. Em uma panela, aqueça o óleo e a manteiga juntos.
3. Quando a manteiga derreter, junte a cebola e o açúcar. Cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre (se usar panela com teflon, pode mexer com frequência; não precisa ser sem parar). Isso demora uns 20 minutos, até a cebola dourar de maneira uniforme. É bom que fique bem dourada.
4. Junte o alho e refogue por 1 minuto.
5. Acrescente o caldo, o vinho, o sal e a pimenta. Cozinhe em fogo baixo por 40 minutos a 1 hora.
6. Para servir, ponha uma fatia de pão em uma cumbuca individual e despeje a sopa por cima. Sirva bem quente. O caldo aquecerá o pão e o queijo. 

domingo, 5 de janeiro de 2014

Muffins de mirtilo





Fazer bolos aos domingos sempre me faz recordar dos tempos em que trabalhei em jornal. Eu fazia os quitutes e os levava para comer à noite com os colegas. Hoje, quando perguntei à Anaís o que ela queria de lanche e ela respondeu "bolo", lembrei-me daqueles tempos. Era chato trabalhar domingo à noite, mas sinto falta da convivência diária com os amigos que fiz. Tenho certeza de que eles adorariam estes muffins.

Eu tinha uma bandejinha de mirtilos na geladeira e não sabia bem o que fazer com eles. Então, a receita, certamente, deveria levar mirtilos. Esta que repasso abaixo eu adaptei do site Joy of Baking.

Ingredientes para a massa:
1 ovo grande
1/2 xícara de chá de leite (integral ou desnatado)
1 colher de café de extrato de baunilha
1 xícara de chá de farinha de trigo
1/2 xícara de chá de farinha de trigo integral
1/2 xícara de chá de açúcar mascavo
1 1/2 colher de chá de fermento químico para bolo
1 pitada de sal
1 pitada de canela em pó
1/4 de xícara de chá de manteira sem sal gelada cortada em cubos
1 xícara de chá de mirtilos

Ingredientes para a farofa:
1 colher de sopa de manteiga sem sal em temperatura ambiente
2 colheres de sopa de açúcar mascavo
1 colher de sopa de farinha de trigo
1 colher de sopa de farinha de trigo integral
1 pitada de canela




Modo de fazer a massa:
1. Unte as forminhas com óleo. Usei forminhas de empada com 5cm de diâmetro.
2. Preaqueça o forno a 180 graus.
3. Em uma tigela pequena, misture o ovo, o leite e o extrato de baunilha. Reserve.
4. Em outra tigela, misture a farinha de trigo, a farinha de trigo integral, o açúcar mascavo, o fermento, o sal e a canela em pó.
5. Acrescente a manteiga à mistura de farinha e mexa suavemente.
6. Junte a mistura de ovo e leite a essa massa, sempre suavemente, conforme foi explicado 
aqui
7. Por fim, acrescente os mirtilios, com cuidado para não esmagar as frutas.

Modo de fazer a farofa:
1. Misture todos os ingredientes com um garfo ou com a ponta dos dedos. Não deixe ficar homogêneo. É para formar grumos, bolinhas.

Para finalizar:
1. Coloque a massa nas forminhas e cubra com a farofa.
2. Leve ao forno por 15 a 20 minutos. O teste do palito funciona: coloque um palito em um dos bolinhos e, se sair limpo, está pronto.

Rende 16 unidades.


domingo, 20 de outubro de 2013

Taça de morango


Nos últimos anos, este blog está meio abandonado. Novas atividades, muita coisa para fazer. No entanto, uma das coisas de que mais gosto continua sendo receber amigos, cozinhar para e com eles. São momentos para descontrair, rir, colocar o papo em dia. Ontem, recebi alguns queridos amigos. Como eu tinha trabalho logo depois, foi um almoço rápido e simples. 

Esta sobremesa segue a linha fácil, rápida e deliciosa. Retirei de uma revistinha de banca, Delícias da Calu, que comprei em um sebo por 70 centavos! Fica pronta em poucos minutos. Se der para preparar várias horas antes ou de um dia para o outro, melhor, pois o creme estará mais firme. Eu fiz a receita dupla e, da próxima vez, vou mudar uma coisa: a montagem (já coloco nas instruções essa dica). O melhor montar depois que o creme estiver firme, pois as camadas ficarão definidas. Com o creme recém-batido, tudo se mistura.

Ingredientes:
400g de morangos limpos e secos
1/4 de xícara de chá de açúcar
1 lata de creme de leite sem soro (pode ser substituído por duas caixas de 200g de creme de leite)
1/2 lata de leite condensado
100g de merenguinhos

Modo de fazer:
1. Bata no liquidificador 300g de morangos (reserve o restante), o açúcar, o creme de leite e o leite condensado.
2. Leve o creme à geladeira por duas ou três horas, até ficar firme.
3. Em taças individuais ou em um recipiente grande, intercale camadas de creme, suspiros e os morangos reservados cortados em quatro (se forem muito grandes, corte mais).
4. Sirva gelado.

domingo, 10 de março de 2013

Cuscuz marroquino fácil, fácil


Eu descobri o cuscuz marroquino há poucos anos e virou um curinga. O preparo é muito fácil e o ingrediente é bastante versátil. Dá para servir como entrada, prato principal, complemento. Esta minha versão eu faço muitas vezes e já apresentei na Confraria Sem Nome, que agora tem um blog só para ela. Dá para servir como na foto, em um prato maior, ou em porções individuais, em copinhos, ao estilo finger food.

Ingredientes:
200g de cuscuz marroquinho
200 ml de caldo de legumes quente
1/4 xícara de amêndoas cortadas (pode-se comprar já filetadas)
1/4 xícara de abobrinha italiana cortada em cubos
2 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem
1/4 xícara de damasco picado
sal a gosto
azeite de oliva extravirgem a gosto
pimenta-do-reino branca a gosto

Modo de fazer:
1. Hidrate o cuscuz com o caldo de legumes. Deixe até absorver todo o líquido, cerca de 15 minutos. Reserve.
2. Enquanto o cuscuz é hidratado, aqueça uma frigideira antiaderente e toste as amêndoas. Reserve.
3. Utilize a mesma frigideira, colocando as duas colheres de azeite, para saltear a abobrinha. Não é para ficar muito tempo, deixe-a bem tenra.
4. Em uma tigela, misture o cuscuz frio com a amêndoa, a abobrinha, o damasco, o sal, o azeite e a pimenta. Não economize no azeite. Eu gosto do cuscuz um pouco úmido.

Variações: utilize berinjela, preparando-a como a abobrinha; outras opções são passas de uva, nozes e castanhas-de-caju. Enfim, invente.

domingo, 2 de setembro de 2012

Moqueca capixaba à minha moda


Parece contraditório uma moqueca capixaba "à minha moda". Ou é capixaba ou é à minha moda. Não necessariamente. A última Confraria, que ocorreu ontem, tinha como tema Sabores do Brasil. Eu escolhi para o meu prato e o da Anaís o Espírito Santo. Mas, por exemplo, não gosto de coentro, que é o cerne da moqueca. Só que para mim, não dá. Já tente, mas o coentro não me desce.

Tirei as receitas do livro Espírito Santo, da coleção Cozinha Regional Brasileira, da editora Abril. Acho que algumas receitas são bem interessantes, mas há um pouco de forçada de barra na atribuição de certas atribuições a este ou aquele estado.

Como sempre, vou publicar no blog a receita tal que fiz. Espero que gostem.

Ingredientes:
1,8kg de cação cortado em cubinhos
3 colheres de chá de sal marinho
suco de 4 limões taiti
4 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem
15 dentes de alho picados
4 xícaras de chá de tomates picados
4 cebolas médias picadas
1 maço e meio de salsinha picada (use coentro, se preferir)
4 colheres de óleo de urucum

Modo de fazer:
1. Coloque em uma panela (de preferência de barro, mas as minhas a Anaís quebrou) o peixe com o sal, o limão, o azeite e o alho. Misture bem.
2. Ligue o fogo e acrescente o tomate, a cebola, a salsinha (ou coentro, se preferir) e o óleo de urucum. Misture, com cuidado para não desmanchar o peixe. Se necessário, adicione meia xícara de água, mas, se os tomates estiverem maduros, solta suco suficiente.
3. Quando levantar fervura, deixe uns 10 minutos e desligue.
4. Sirva quente com arroz.

domingo, 27 de maio de 2012

Coq au vin - Galinho no vinho


Há uma obra da L&PM, coleção Pocket, que vale a pena ter. O livro da cozinha clássica: a história das receitas mais famosas da história, de Silvio Lancelotti. O título e o subtítulo dispensam muitos comentários. Bom é ler e se divertir, sabendo que há muito de lenda, também, em várias narrativas.

Esta receita clássica eu fiz há anos e resolvi tentar novamente (da outra vez, o molho ficou muito líquido). Resultado maravilhoso, virou coqueluche por aqui e fez sucesso em um almoço para amigas muito queridas há uma semana. Eu vou passar como fiz, pois o Silvio não dá muitas medidas. Além disso, coloquei somente as partes que gosto no frango: peito e sobrecoxas, e dispensei o toicinho.

A receita também está na minha lista de favoritas porque, com ela, usei estragão pela primeira vez e virei fã desse tempero.


Ingredientes:
1,2kg de peito e sobrecoxa de frango sem pele
1 cebola cortada em oito partes
1 colher bem cheia de manteiga
15 a 20 minicebolas
2 dentes de alho
12 cogumelos paris de tamanho pequeno a médio
2 colheres de sopa salsinha picada
2 folhas de louro
2 colheres de sopa rasas de estragão seco
sal a gosto
vinho tinto seco necessário para cobrir o frango
uma colher de sopa de amido de milho

Modo de fazer:
1. Em uma caçarola, em fogo baixo, derreta a manteiga e agregue  as cebolas. Mexa para não grudar no fundo.
2. Acrescente o frango e mexa sempre até dourar.
3. Incorpore o alho, os temperos e os cogumelos.
4. Cozinhe por meia hora.
5. Junte o amido de milho, mexa bem até sentir o espessamento.
6. Tampe a panela e deixe cozinhar a carne ficar macia.
7. Acerte o sal e sirva.

Dica: sirva com pão frito em azeite e alho.

domingo, 15 de abril de 2012

Musse de chocolate branco

 Para a nossa Confraria de Páscoa, fiz uma musse de chocolate branco, receita da revista Menu. Como fazia um tempão que não postava um docinho no blog, espero que gostem. Eu coloquei o dobro da quantidade de leite indicada na receita, porque o creme virou uma paçoca; fiz algumas outras mudancinhas. A receita que passo abaixo é como eu preparei.

Eu recomendo que separem todos os ingredientes antes, já medidos. Aí, fica bem fácil fazer. Sei que essa dica é prosaica, mas eu muitas vezes, na empolgação, leio a receita só uma vez, começo a fazer e aí me atrapalho.

O resulto ficou muito bom. A foto não jus à aparência. Outra dica: fazer de um dia para outro, pois aí fica bem firme.

Ingredientes:
300ml de leite
40g de açúcar mascavo
60g de gemas
15g de amido de milho
450g de chocolate branco cortado em pedaços pequenos
8g de gelatina em folha sem sabor
700ml de creme de leite fresco

Modo de fazer:
1. Coloque o leite para ferver em uma panela média.
2. Em uma tigela, misture o açúcar, as gemas e o amido de milho. Despeje um pouco de leite quente nessa mistura e mexa bem.
3. Coloque a mistura na panela com o leite e cozinhe em fogo baixo, mexendo sempre, até engrossar.
5. Desligue o fogo e misture nesse creme o chocolate, mexendo até obter um creme liso. Reserve.
6. Hidrate a gelatina de acordo com as instruções da embalagem e adicione ao creme, mexendo bem até dissolver.
7. Transfira o creme para uma tigela de inxo e cubra com filme plástico. Deixe esfriar e depois leve à geladeira. Eu estava com pressa e levei à geladeira quente mesmo.
8. Bata o creme de leite em ponto de chantili mole e incorpore ao creme já resfriado. Leve à geladeira.

Dica: A chef que deu a receita, Amanda Lopes, sugere que seja servido com calda de frutas vermelhas ou decorada com frutas da estação.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Torta de abobrinha

 Eu sei. Este calor que faz em Porto Alegre não combina com forno. Mas, não sejamos covardes! A torta e uma saladinha verde resultam em uma refeição leve e muito saborosa. Garanto que vale a pena. A receita é da revista Receita Minuto.

Ingredientes para o recheio:
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 cebola média picada
2 dentes de alho picados
2 abobrinhas italianas médias cortadas em cubinhos
1 tomate sem sementes cortado em cubinhos
2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado
sal a gosto

Ingredientes para a massa:
3 ovos caipira
3/4 de xícara de chá de óleo
2 xícaras de leite
1 tablete de caldo de legumes (a receita original pedia caldo de legumes; optei por um envelopinho de Meu Segredo de legumes)
1/2 xícara de chá de amido de milho
1 xícara de farinha de trigo
1 1/2 xícara de farinha de trigo integral
1 colher de sopa de fermento químico
Queijo parmesão para polvilhar

Modo de fazer o recheio:
1. Aqueça o azeite e refogue nele a cebola e o alho. Acrescente o tomate e as abobrinhas. Deixe cozinhar, mas a abobrinha deve ficar firme. 
2. Junte o parmesão e o sal. Misture bem.
3. Desligue e deixe esfriar.

Modo de fazer a massa:
1. Bata no liquidificador os ovos, o óleo, o leito e caldo de legumes.
2. Acrescente o amido de milho e o parmesão e bata novamente.
3. Acrescente a farinha branca e bata.
4. Junte a farinha integral aos poucos, pois, dependendo da farinha, talvez não seja necessário usar toda.
5. Acrescente o fermento, bata e desligue.

Montagem:
1. Unte e enfarinhe uma fôrma ou refratário de tamanho médio. 
2. Coloque metade da massa na fôrma. Espalhe o recheio e cubra com o restante da massa.
6. Salpique o parmesão e leve ao fogo por cerca de 40 minutos ou até que fique bem douradinho. A dica da revista é para não preaquecer o forno se optar por usar um refratário.

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Peixe com molho de manjericão

 Esta é mais uma receita de preguiçosa. Eu achei no Mercado Público de Porto Alegre pedaços muito bonitos de peixe-anjo. Geralmente, esse peixe aparece em postas pequenas, que lembram bifes. Na banca da Cooperativa dos Pescadores, é vendido em peças grandes, altas e suculentas. Foi o que usei. Cortei em retângulos, para ficar mais bonitinho.

Ingredientes para o peixe:
1/2 quilo de peixe-anjo
2 colheres de sopa de azeite de oliva extravirgem
sal e pimenta-do-reino a gosto

Ingredientes para o molho:
meia xícara de folhas de manjericão fresco
1/4 de xícara de azeite de oliva extravirgem
sal a gosto
suco de meio limão coado

Modo de fazer o peixe:
1. Aqueça levemente o azeite em uma chapa de ferro e coloque o peixe. Tempere com o sal e a pimenta. Doure dos dois lados. Reserve.

Modo de fazer o molho:
1. Liquidifique, juntos, o azeite e o manjericão. Sacuda de vez em quando até triturar bem. Junte o sal e o suco de limão.

Para finalizar:
Coloque o peixe em um prato, cubra com o molho e está pronto. Fácil, fácil.

domingo, 23 de outubro de 2011

Canapés com maionese de cenoura

 No aniversário da Anaís, fiz esta opção vegetariana. Optei por uma receita do tempo em que eu era macrobiótica. É fácil, saudável e deliciosa. Além de versátil: uso no pão, como recheio para torta fria e no lugar da maionese tradicional em salada de batata ou aipim. Pode ser guardada em um pote bem fechado na geladeira por uns dois dias.

Ingredientes:
2 xícaras de chá de cenoura bem cozida, cortada grosseiramente (é melhor descascar a cenoura depois de cozida)
1/4 de xícara de chá de óleo (usei de milho)
sal a gosto
suco de meio limão
discos de minipizza
ciboulette para enfeitar

Modo de fazer:
1. Liquidifique a cenoura e o óleo. É meio chato, porque é uma mistura bem espessa. Ligue, desligue, chacoalhe e liquidificador, ligue de novo. Assim vai, até obter uma pasta homogênea.
2. Coloque a maionese em um pote e junte o sal e o suco de limão coado. Prove. Se achar que fica melhor, acrescente um pouco mais de suco.
3. Distribua pequenas porções sobre os discos e finalize com a ciboulette.

domingo, 2 de outubro de 2011

Gelatina de cachaça


Esta dá um "up" na festa. Além de agradar pelo visual colorido, alegra pelo motivo óbvio: álcool. As proporções que indico são as que achei satisfatórias. Aqueles mais sensíveis podem diminuir a quantidade de cachaça. Ou vice-versa, claro.

Se a festa não for para muitas pessoas, utilize meia embalagem de gelatina  de cada sabor e guarde o restante, bem fechado, para fazer depois do modo tradicional. O legal é variar, para ficar mais colorido. Os sabores que mais se adequaram a essa sobremesa de borracho foram os cítricos.

Na primeira vez em que fiz, usei partes iguais de aguardente e água e meus convidados, desavisados, pareciam aqueles bonecos de desenho animado, soltando fogo pelos ouvidos.

Importante: mantenha longe das crianças.

Ingredientes:
gelatina de sua preferência
água
cachaça

Modo de fazer:
1. Dilua a gelatina em água quente, conforme as instruções da embalagem (a mesma quantidade).
2. Na hora de acrescentar a água fria, use uma parte de água e outra de cachaça.
3. Leve à geladeira, em copos de cafezinho, e sirva gelado na festa.

domingo, 18 de setembro de 2011

Ricotta fritta con piccola insalata di pomodori


Nossa! Seis meses sem escrever no blog. Tanta coisa aconteceu, muita correria, da boa e da não tão boa. Mas, que cozinha seus males espanta. Então, bora colocar um avental e mãos na massa.

Esta ricota frita com saladinha de tomate é uma receita do livro a Itália de Jamie, do Jamie Oliver, que ganhei dos amigos da Confraria quando fiz 40 anos.

Muito fácil de fazer, faz boa figura em qualquer refeição. É bom começar a preparar quando a mesa já estiver posta e todos preparados, pois é ideal comer as tortinhas quentes.

Ingredientes:
450 gramas de ricota (escolha uma que esfarele)
2 colheres de sopa de queijo parmesão ralado na hora, de preferência, e mais um pouco para servir
1 1/2 colher de sopa de farinha de trigo
sal marinho a gosto
pimenta-do-reino a gosto
1 ovo grande
3 tomates maduros
2 ramos de manjericão fresco
1 pimenta vermelha fresca, sem sementes
azeite de oliva extravirgem
vinagre de vinho
noz-moscada para servir
Modo de fazer:
1. Esfarele a ricota e misture-a com 2 colheres de parmesão, a farinha, o sal e o ovo. Tempere com pimenta e leve à geladeira.
2. Corte os tomates ao meio e elimine as sementes. Pique-os em cubos e deixe-os em uma peneira para escorrer excessos de líquido.
3. Pique os talos de manjericão bem fininho e rasgue as folhas grosseiramente.
4. Mistures os tomates com a pimenta cortada bem fininho, tempere com sl e pimenta-do-reino, azeite e um borrifada de vinagre de vinho.
5. Coloque uma panela antiaderente em fogo médio e borrife-a com azeite.
6. Despeje na panela algumas colheradas da mistura de ricota.
7. Frite as tortinhas até ficarem douradas. Vire e doure o outro lado. Faça isso usando uma espátula e com cuidado para não quebrarem.
8. Coloque as tortinhas no prato, salpique com sal marinho e um pouco de noz-moscada. Ao lado, adicione uma boa colherada da salada de tomate.
9. Borrife a salada com azeite e rale parmesão por cima.

sábado, 5 de março de 2011

Salada de alface, mamão e alcaparra

Esta é ridícula de tão simples, mas, como eu gosto de receitas bem simples, achei que não seria demais partilhar com vocês. Afinal, estamos no Carnaval e muitas pessoas não querem perder tempo na cozinha.
É uma saladinha, para os momentos de extrema preguiça. Falta de tempo ou vontade não significa que a comida tenha de perder a cor, a beleza; e um toque diferente sempre é bem-vindo, certo?

Ingredientes
Três folhas de alface crespa
1 fatia grossa de mamão cortada em pedaços de tamaho médio
1 colher de sopa de alcaparras

Modo de fazer:
1. Rasgue as folhas de alface, previamente lavadas e secas.
2. Junte o mamão, espalhe as alcaparras e fim!
3. Para temperar, use azeite e sal, um molho de iogurte ou o que você quiser.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Risoto de abobrinha

Porto Alegre parece um forno a céu aberto. Caminhamos dentro de uma permanente bolha de ar quente. Calor, umidade. Realmente, a cozinha não parece o melhor lugar para se estar. E risoto talvez não seja a melhor opção, mas deu aquela vontade, então ataquei com essa receita, que já havia feito algumas vezes, mas nunca postei aqui. Tem um certo tom "eu te amo, meu Brasil", verde e amarelo. Uma combinação de cores que achei bem bacana. Espero que gostem.
Ingredientes:
5 colheres de azeite
1/2 cebola em rodelas
1 dente de alho amassado
1 1/2 de abobrinha em rodelas
1 xícara de chá de arroz arbóreo
3 xícaras de brodo de frango
1 envelope de açafrão
1/4 xícara de grana padano ralado

Modo de fazer:
1. Em uma panela em fogo moderado, aqueça duas colheres de azeite. Junte a cebola.
2. Quando a cebola amolecer, junte o alho. Frite por um minuto.
3. Adicione o arroz, mexa por dois ou três minutos.
4. Despeje três conchas do brodo fervente na panela. Mexa sempre, em fogo moderado.
5. Quando o arroz tiver incorporado quase totalmente o líquido, junte a abobrinha e o açafrão. Mexa e acrescente mais um pouco do brodo.
6. Siga mexendo até o arroz ficar al dente. Se necessário, junto um pouco mais de brodo.
7. Quando o arroz estiver no ponto, junte o parmesão e o azeite restante, mexa, tampe a panela. Deixe descansar por um três minutos e sirva.

domingo, 10 de outubro de 2010

Salada de grão-de-bico

Para comemorar a volta (foram meses afastada), posto esta salada, que é um curinga. Fácil, fácil, gostosa e enche os olhos. Dá para servir como na foto ou em miniporções. Outra coisa boa é que ela é versátil. Dá para tirar e colocar ingredientes à vontade. Quem me apresentou foi meu amigo Christian, em uma das Confrarias. Como vocês vão perceber, há vários "a gosto". Isso, sendo bem honesta, vale para tudo; eu só coloquei umas medidas para dar uma base. O melhor é vocês colocarem o grão-de-bico cozido em uma tigela e acrescentar o restante de acordo com o sabor e o colorido desejados. Vegetarianos podem tirar o atum e também o ovo de codorna, se for o caso.

Ingredientes:
1 quilo de grão-de-bico
azeitonas a gosto
ovos de codorna a gosto
sal a gosto
pimenta-do-reino a gosto
1/4 de xícara de azeite de oliva
1 pacote de kani kama
2 latas de atum escorrido e desfiado
2 cenouras grandes cozidas e cortadas em cubos
1 vidro pequeno de pepinos em conserva cortados em cubos

Modo de fazer:
1. Cozinhar o grão-de-bico com sal e um pedaço de gengibre. Panela de pressão. Desligue 20 minutos depois de começar o barulho de pressão. É importante que os grãos fiquem bem firmes. Se não ficarem bem cozidos, continue o cozimento sem pressão, para não perder o ponto. Deixe esfriar.
2. Junte os outros ingredientes ao grão-de-bico, leve à geladeira e sirva.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Feijão branco com salsão e abóbora


Quem disse que feijão bom precisa  ter carnes? Este eu fiz para aproveitar umas folhas de salsão que estavam lá na minha geladeira, tristonhas (dá pra ver por aquela coitadinha que usei para decorar; aliás, a decoração, com essa folha murcha, ficou pra lá de duvidosa). Em dias frios, dá bem para enganar com uma sopa. Sirva com torradas e fica bem bom!

Ingredientes:
1/2 kg de feijão branco
4 xícaras de abóbora okaido (usei com casca)
1 xícara de folhas de salsão cortadas picadas

Modo de fazer:
1. Coloque o feijão na panela de pressão. A partir do momento em que der pressão, conte 20 minutos. Desligue.
2. Depois que estiver sem pressão, abra a panela, reacenda o fogo e acrescente a abóbora.
3. Cozinhe sem pressão. Depois de cerca de meia hora, coloque sal.
4. Quando os grãos estiverem cozidos e o caldo espesso. Desligue.
5. Acrescente o salsão, tampe a panela de deixe por 10 minutos antes de servir.

domingo, 6 de junho de 2010

Descascador de batatas. Eu tenho!



Frescuras para cozinha? É comigo. Já deixei de fazer algumas receitas com batata por preguiça de descascar. O processador até faz esse trabalho, mas as batatas têm de ser pequenas e depois eu preciso tirar as sobras de cascas.

Confesso que sou presa fácil de propagandas via e-mail e revistas com utensílios para casa. AMO! Não coloco como spam. Olho tudo; se não gosto, apago e pronto. Foi assim, em uma revista de propaganda, que fiquei sabendo da existência do descascador de batatas importado pela Master Home. Segundo o anúncio, 1kg de batatas descascado em 2, 3 minutos. Belo presente de aniversário. E, como eu mereço, foi o presente que me dei, juntamente com uns livrinhos, claro.

Somente hoje eu testei o aparelho. Em três minutos, 1kg de batatas totalmente descascadas, sem nada de casca para tirar depois. Bastou um banhinho e pronto, panela!

Paguei, com o frete, R$ 140,00. E acho que valeu muito. Segundo a propaganda, também funciona com rabanetes, maçãs. Mas isso eu não testei. Eu estava com preguiça de tirar foto, descarregar câmera... então peguei uma de um site mesmo. Só não entendi que tanta coisa tem nessa foto. Vai dizer o aparelho descasca chuchu? E faz o que com o coitado do brócolis?

terça-feira, 25 de maio de 2010

150 mil!


Gente, eu sei que o Batuque não é, assim, o foodblog mais popular do pedaço, mas 150 mil acessos! Isso me deixou bem emocionada. Quando comecei, há mais de dois anos, queria um lugar para escrever sobre culinária, colocar comidinhas que iam dando certo, até conhecer cozinheiros como eu, de fim de semana, ou tantos outros que encontrei, hábeis, grandes conhecedores da alquimia gastronômica. Mas 150 mil acessos, para minhas modestas pretensões, é um sucesso escandaloso hahahahaha.

Muito obrigada a todos vocês, que sempre vêm ao Batuque, que só vieram uma vez, que gostam, que não gostam, que são indiferentes. Aos mais de 70 seguidores (sim! eu tenho até seguidores!). A cada um que colocou sua pegada virtual nesta minha cozinha: muito obrigada!