sábado, 25 de outubro de 2008

Dia Mundial do Macarrão – Espaguete mediterrâneo

Como parece ser o lema da Anaís, todo dia é dia de massa. Mas hoje é mais dia que os outros. Desde 1995, 25 de outubro é o Dia Mundial do Macarrão. A data foi escolhida durante o 1º Congresso Mundial da Pasta, realizado em Roma naquele ano. Segundo a Associação Brasileira de Indústrias de Massa Alimentícia (Abima), o Brasil é terceiro maior produtor de macarrão do mundo.

Em homenagem ao Dia Mundial deste que é o campeão na preferência aqui em casa, vou postar uma receita de que gostamos muito (claro, é massa + cogumelos). Comi há anos em um restaurante aqui de Porto Alegre, o Atelier de Massas. Adorei. Em casa, pensei: eu posso fazer. E fiz. E ficou muuuito bom.

Anos depois, pedi a mesma massa no Atelier e, em vez da sálvia, veio com salsinha. Eu perguntei o motivo da troca do ingrediente. Imaginei que salsa deve ter mais aceitação pela média dos clientes, uma vez que a sálvia não é, digamos, uma unanimidade. O garçom foi até a cozinha pe, para minha surpresa, quando voltou me informou que a receita sempre havia sido assim, segundo o chef e segundo ele mesmo, garçom, que também não se lembrava de haverem coloca sálvia naquele prato.

Pois aí vai a minha receita, com toda a sálvia a que tenho direito!

Espaguete mediterrâneo
200g de espaguete (usei um de arroz para experimentar; achei bem gostoso)
1 colher bem cheia de manteiga
3 colheres de azeite de oliva extravirgem
3 dentes grandes de alho fatiados
1/2 pimentão vermelho cortado em quadrados
1/2 pimentão amarelo cortado em quadrados
1/2 pimentão verde cortado em quadrados
10 cogumelos paris frescos (os maiores que encontrar)
4 colheres de sopa de vinho branco seco
6 folhas grandes de sálvia fresca picada não muito pequeno
2 colheres de sopa de salsinha picada (minha concessão ao chef hehehe)
sal e pimenta-do-reino a gosto

Modo de fazer:
1. Coloque uns dois litros de água para ferver com um pouco de sal. Enquanto isso...
2. Em uma frigideira, derreta a manteiga com o azeite e doure levemente o alho. Bem levemente mesmo.
3. Junte os cogumelos, e dê uma rápida refogada. Rápida mesmo.
4. Agora, agregue os pimentões e o vinho branco. Mexa sempre.
5. Quando o vinho tiver evaporado um pouco, junte o sal, a sálvia e salsinha. Dê umas mexidinhas só para incorporar e desligue o fogo.
6. Polvilhe com a pimenta e sirva.

domingo, 19 de outubro de 2008

Cenoura e nabo à moda macrobiótica

Durante um longo tempo, fui macrobiótica. Na minha opinião, não há dieta melhor, mas tem que ser seguida direitinho, senão dá muito errado. Enquanto morava com minha mãe, ela preparava tudo, aprendeu essa nova maneira de cozinhar, fazia marmitinhas com as quantidades certinhas.
Eu era uma bóia-fria no restaurante universitário, pois não havia facilidades como microondas. Lá estava eu, feliz da vida, com minhas porções de arroz integral, raízes e oleaginosas. Tudo frio, mas para mim, maravilhoso.

Esta receita é um clássico. Fácil de fazer e muito saborosa. Para mim, com cara de faculdade, bons papos em longos almoços sentada na grama do Parque da Redenção, amigos queridos que se perderam no tempo e, principalmente, carinho de mãe.

Ingredientes:
2 colheres de óleo de uva ou gergelim

2 cenouras médias
2 nabos redondos

2 colheres de sobremes de shoyo

2 colheres de sopa de semente de gergelim


Modo de fazer:

1. Corte os nabos e as cenouras em fatias.

2. Em uma frigideira, aqueça o óleo e coloque a cenoura e o nabo. Vá mexendo para não queimar e cozinhar de maneira homogênea. Quando estiverem macios, mas crocantes, acrescente o shoyo, mexa e desligue.

3. Em outra frigideira, toste o gergelim. Basta colocar as sementes, em fogo baixo. Sugiro tampar, pois elas pulam como pipoca. Sacuda a frigideira constantemente. Deixe bem pouco tempo. Espere as sementes pararem de pular e confira se estão tostadas.

4. Cubra a cenoura e o nabo com o gergelim e sirva.

terça-feira, 14 de outubro de 2008

domingo, 5 de outubro de 2008

Na hora do aperto? Parafuso com cogumelo


Há períodos em que a Anaís só quer comer macarrão. E não adianta fazer coisas diferentes, coloridas, gostosas. Ela só quer massa.
Outro dia, janta pronta, mesa posta, ela me olha, vai até a cozinha, tira um pacote de massa do armário e coloca em cima do fogão. Mais direta impossível. Vi o que tinha na geladeira, que fosse bem rápido, para o molho.

Esta receita, obviamente, serve uma pessoa. Especificamente, aquela pessoa chamada Anaís...

Ingredientes:

100g de massa tipo parafuso

2 colheres de sopa de azeite de oliva

1 cebola pequena em rodelas

uns 4 cogumelos paris frescos (se forem muito pequenos, pode colocar mais)
2 colheres de shoyu (de preferência, sem açúcar)

pimenta-do-reino a gosto

1 colher bem cheia de salsinha picada
queijo ralado a gosto


Modo de fazer:

1. Ponha 1 litro de água para ferver com uma pitada de sal. Quando ferver, coloque a massa.


Prepare o molho:

1. Aqueça o azeite e refogue a cebola (não deixe dourar).
2. Acrescente o cogumelo fatiado, o shoyu e a pimenta.

3. Quando o cogumelo estiver macio, desligue o fogo, acrescente a salsinha.

4. Mistue a massa escorrida ao molho e polvilhe com queijo ralado na hora.


Dica: como tinha shoyu, dispensei o sal. Prove e veja se está ao seu gosto.
Bom apetite!