terça-feira, 22 de julho de 2008

Pé-de-moleque da Patrícia


Diferentemente do que possa parecer, não desisti de batucar. Os tambores estão um pouco silenciosos porque tenho com um monte de coisas para fazer, no trabalho, fora do trabalho, falta tempo para tudo.
Para completar, estou na terceira semana de uma obra que, acredito, não terá fim. Alguém pode me dizer por que pedreiros, eletricistas e quetais têm tanta resistência em cumprir prazos? Por que eles somem? Por que eles sempre ficam "doentes" no meio da obra?
O fato é que, quando chego em casa, na esperança (completamente irreal) de que tudo esteja pronto, ou pelo menos metade – tá bem, um terço da obra –, abro a porta e... tudo sujo, coberto de poeira, buracos nas paredes.
Meus livros estão amontoados em um canto, protegidos da poeira, na medida do possível. Mas, quando preciso de qualquer coisa, dicionário, manual... impossível achar. Deveria ter feito pilhas em ordem alfabética.
Nesse período, até tentei cozinhar, mas não me ocorreu uma só receita que tivesse como ingrediente cimento ou gesso. A gente vai perdendo a "mão" com o passar do tempo, quando criança, fazia bolo de barro; o princípio deve ser o mesmo, só que agora teria que ser comestível.
























Bem, mas este post não tem como objetivo falar apenas de minhas agruras na área da construção civil. Há muito, muito tempo... em 24 de junho, fizemos uma festa junina no jornal. Cada um levou alguma coisa, comida ou refrigerante (não é de bom tom beber quentão no trabalho, dizem).
A festa tem tido novas adesões a cada ano. Desta vez, havia duas mesas grandes com todo tipo de doce e salgado, dos tradicionais da data até receitas especiais. Eu levei o pão italiano com minha caponata de berinjela que, sem falsa modéstia, é muito boa. Durante umas duas horas, trabalhamos, levantamos, comemos, conversamos, trabalhamos, e assim vamos, até estarmos empanturrados. Afinal, é preciso provar um pouco de tudo.
A minha colega Patrícia levou estes pés de moleque, que ficaram deliciosos, um dos sucessos da noite. A receita segue abaixo. Ah, as fotos são profi, do fotógrafo Fabiano do Amaral. Tirar foto em jornal é isto, serviço de primeira.

Pé-de-moleque com leite condensado
Ingredientes:

3 xícaras (chá) rasas de açúcar

1 colher (sopa) cheia de margarina
2 colheres (sopa) de achocolatado
500g de amendoim cru

1 lata de leite condensado


Modo de fazer:

1. Derreta a margarina e coloque o açúcar, o amendoim e o chocolate.
2. Deixe derreter essa mistura em fogo baixo até amolecer bem a calda, mexendo sempre.
3. Quando estiver bem molinha, acrescente o leite condensado e continue mexendo até soltar da panela.

4. Para fazer os pés-de-moleque, unte com margarina dois tabuleiros grandes e, assim que o doce soltar da panela, coloque pequenas colheradas no tabuleiro. Aí é só esperar esfriar e comer.