sábado, 22 de março de 2008

Bacalhau com legumes

Ontem fiz bacalhau. Não tenho experiência com ele, mas o resultado ficou muito bom. Fiz uma adaptaçãozinha de uma receita que encontrei em bacalhau.com.br. Vale a pena uma visita. Serve bem 6 pessoas.
Para dessalgar, deixei o bacalhau de molho por 48 horas, trocando a água de três a quatro vezes por dias (quanto eu me lembrava).

1,2kg de bacalhau dessalgado (preferencialmente, um pedaço inteiro)
5 cebolas médias
5 cravos-da-índia
5 dentes de alho

1 bouquet garni (usei louro, tomilho e salsinha; veja na foto)
2 cenouras médias
1 pitada de noz-moscada
azeite extravirgem
10 batatas pequenas descascadas
200g de cogumelo gigante paris
5 grãos de pimenta branca
1 colher de café de mostarda em grão
4 folhas de couve (amarradas)
4 folhas de repolho (amarradas)
1 cálice de vinho branco
2 colheres de sopa de farinha de trigo
Modo de fazer:
1. Numa panela, ferva 1,5 litro de água com uma cebola (espete nela os cravos-da-índia), os alhos, o bouquet garni, as cenouras, a pimenta, os grãos de mostarda, o vinho, um fio de azeite e a noz-moscada.
2. Após 15 minutos de fervura, cozinhe o lombo de bacalhau por 8 minutos. Reserve-o em um pouco de caldo, para evitar que resseque.
3. Coloque os ingredientes restantes (menos farinha) na água. Como cada um tem um tempo diferente do cozimento, você terá que ficar atento e ir tirando os mais macios. Para que eles não ressequem, coloque um fio de azeite sobre eles quando retirá-los da água.
4. Quando todos os legumes e verduras estiverem prontos. Deixe o caldo no fogo, para reduzir. Devem sobrar umas 3 xícaras. Engrosse esse caldo com a farinha de trigo.
5. Disponha o bacalhau em um refratário, cercado pelos legumes e as verduras.
6. Regue tudo fartamente com o caldo. Leve ao forno preaquecido por 15 minutos.
7. Retire do forno, regue com azeite e sirva.

sexta-feira, 21 de março de 2008

Bolo de uva rosa

A idéia original era fazer um bolo com uvas pretas. Mas o que eu tinha em casa eram as rosas. Foram elas mesmo e ficou bem gostoso. Tirei a receita de umas anotações que eu havia feito, mas não sei se a partir de um programa de TV, de saite... Enfim, fiz tantas mudanças, que acabou virando uma criação minha.

A massa é de bolo, mas a cobertura dá uma aparência de cuca.

Ingredientes do bolo:
4 ovos
2 xícaras de açúcar mascavo
150 g de nata
1 xícara (chá) de leite
2 1/2 xícaras de farinha de trigo branca

2 1/2 xícaras de farinha de trigo integral
2 colheres de sopa de fermento para bolo
1 kg de uva preta ou rosa

Ingredientes para a farofa
1 xícara (chá) de açúcar
1 xícara (chá) de farinha de trigo
1/2 colher de sopa de nata
1/2 colher de chá de canela em pó
1/2 colher de chá de gengibre em pó

Preparo da farofa:
1. Misture todos os ingredientes e reserve.

Preparo do bolo:
1. Lave as uvas e deixe escorrendo (usei o escorredor de massa).
2. Bata os ovos até que eles dobrem de volume.

3. Adicione o açúcar e bata bem.
4. Junte a nata e bata até obter um creme.
5. Sempre batendo, coloque o leite, bata mais um pouco, e as farinhas. A mass
a fica bem densa.
6. Desligue a batedeira, acrescente o fermento em pó e mexa delicadamente com
uma colher ou espátula.
7. Ligue o forno a 180 graus.
8. Unte e enfarinhe uma fôrma retangular e despeje a massa. Cubra-a com as uvas e a farofa.

9. Asse por 35 a 40 minutos.

Dica: pode ser feito com fôrmas de vários formatos. Fiz um bolo retangular e um redondo.

terça-feira, 18 de março de 2008

Peixe apimentado assado com cebolas e queijo feta

Não sou nem um pouco religiosa, mas gosto das comidas das datas especiais. Portanto, Páscoa é desculpa para comer peixe e chocolate. Fiz esta receita há algum tempo e pode servir como sugestão para que estiver sem muita idéia do que fazer. Eu escolhi o peixe anjo, pois gosto da aparência e não tem espinhas, um cuidado que tenho sempre por causa da Anaís.
O queijo feta e a pimenta-comari dão o toque especial. Esse queijo não derrete; quem preferir pode usá-lo esmigalhado sobre o peixe.

Ingredientes parte 1:
1/2 kg de peixe de carne branca; prefira uma peça única, pois fica mais bonito (usei peixe anjo)
1 colher de chá de estragão seco

sal a gosto
4 colheres de sopa de azeite

Ingredientes parte 2:
3 cebolas médias fatiadas

1 pimentão verde em fatias
3 tomates cortado ao meio
1 colher de chá de pimenta-comari verde cortada grosseiramente
1/2 xícara de vinho branco seco

100g de queijo feta cortado em tiras
azeite de oliva a gosto

Modo de fazer:
1. Tempere o peixe com o estragão, o sal e o azeite e deixe pegar o gosto por cerca de meia hora na geladeira.
2. Coloque o peixe em um refratário, regue cubra com as cebolas e o pimentão. Espalhe sobre tudo a pimenta. Regue com o vinho. Ajeite as fatias de feta sobre o peixe.
3. Acomode os tomates nas laterais do prato, regue tudo com azeite, cubra com papel alumínio e leve ao forno em fogo médio por 15 minutos. Retire o papel alumínio e deixe assar até que o peixe termine de assar e o queijo esteja levemente dourado.

terça-feira, 11 de março de 2008

Encontro de lulus - Pavê de Bis

Sempre que dá – o que não é muito freqüente, pois é difícil sincronizar as agendas –, reúno algumas amigas em casa. Cada uma traz uma coisa, a gente come, bebe e fala, fala muito.
Sábado passado, Anaís e eu recebemos a Cris e a Luísa. Foi um quórum baixo, mas qualificado. A gente comeu, não bebeu (quem ia levar a bebida não foi!!) e falou, falou muito. Falei muito mal (brincadeirinha) de quem me deixou com déficit alcoóli
co, mas depois descobri que a coitada teve que fazer uma inesperada e inadiável visita ao dentista.
Eu preparei este pavê de Bis, cuja receita tirei do enc
arte da revista Malu – Pavês de Liqüidificador (vale a pena comprar, pois as receitas são boas e fáceis; a revista custa R$ 1,99), uma focaccia de ervas e tomate e minisanduíches. Estas duas receitas eu passo depois.
Pavê de Bis
Ingredientes:

1 lata de leite condensado
2 latas de leite (usar a medida da lata do leite condensado)
2 gemas
1 colher de chá de essência de baunilha
2 colheres de sopa de amido de milho
1 lata de creme de leite com soro
1 tablete de 200g de chocolate meio amargo picado
1 caixa de chocolate tipo Bis preto picado grosseiramente
1 caixa de chocolate tipo Bis branco grosseiramente

Modo de fazer:
1. Coloque no copo do liqüidificador o leite condensado, o leite, as gemas, a essência e o amido de milho. Bata até ficar homogêneo.
2. Leve a mistura ao fogo brando até engrossar. Desligue o fogo.
3. Acrescente o creme de leite e mexa bem.
4. Divida o creme em duas partes.
5. Junte o chocolate meio amargo a uma das partes ainda quente e mexa até que ele derreta e o resultado seja um creme homogêneo.

Montagem:
1. Em um prato refratário médio, coloque uma camada do creme branco, uma camada de Bis preto, outra do creme de chocolate e, por fim, uma camada de Bis branco. Repita até acabar o creme. Se preferir, faça apenas duas camadas, mais grossas, de creme.
2. Decore a gosto e leve à geladeira por, no mínimo, 4 horas.

Dica: foi a primeira vez que fiz esta receita; acho que deve ficar ainda melhor com mais Bis (de 1,5 a duas caixas de cada tipo) e com os chocolates inteiros.

terça-feira, 4 de março de 2008

Carina Barlett Boulangerie

Gosto de quase tudo que engorde: massas, doces, frituras, biscoitos, pães e seus derivados. Açúcar, açúcar, carboidrato, carboidrato. Procuro comer sem culpa, afinal, vou comer mesmo.

Uma pequena porta, encimada por um toldo, no bairro Bom Fim, em Porto Alegre, é mais um elo para algumas dessas deliciosas calorias.

A Carina Barlett Boulangerie tem variedade limitada, mas grande qualidade. Inaugurada em 2007, parece uma simpática padaria francesa, com decoração aconchegante e pães expostos em armários de madeira com portas de vidro. Não há espaço para lanchar. Quando escrevo pequeno, é pequeno mesmo: cabem apenas dois clientes – em pé – de cada vez.

No entanto, em uma padaria, o que importa são os pães. E os criados por Carina Barlett são muito bons. Em nenhuma receita é usada gordura vegetal, apenas manteiga, a Aviação, "a melhor nacional", como fez questão de ressaltar o atendente. Isso, aliado à fermentação natural (à base de frutas ou leite), deixa os produtos muito leves e saborosos.

Provei vários. Como sou formiga, destaco o roullander, um rolinho de massa com canela, maçã e passas, lembra um pouco um pão com chocolate que costumo comprar na Barbarella Bakery (não lembro o nome), mas a massa é superior. A leveza, na minha opinião, é o que caracteriza as criações de Carina. O pão rústico, coberto com sementes de gergelim preto, difere-se um pouco nesse aspecto, é mais duro, um tanto "borrachudo", mas aqui o sabor compensa.

A loja tem ainda um pequeno armário, à direita, com alguns poucos produtos, como geléias e queijos (poucos mesmo, não estou usando de eufemismos nesta postagem). A falta de espaço será corrigida ainda este mês, quando a padaria se muda para a esquina da Vasco da Gama com a Tomás Flores, também no Bom Fim.


Não provei o croissant, especialidade da casa. Por quê? Não estava em um dia de comer croissant. Ou talvez seja apenas uma desculpa inconsciente, caso eu entre na cilada de começar alguma dieta maluca. Aí vou dizer: bah, não dá, ainda tenho que provar aquele croissant!


Vale a pena conhecer:
Rua Barros Cassal, 797
Fone 3311-5643