terça-feira, 4 de março de 2008

Carina Barlett Boulangerie

Gosto de quase tudo que engorde: massas, doces, frituras, biscoitos, pães e seus derivados. Açúcar, açúcar, carboidrato, carboidrato. Procuro comer sem culpa, afinal, vou comer mesmo.

Uma pequena porta, encimada por um toldo, no bairro Bom Fim, em Porto Alegre, é mais um elo para algumas dessas deliciosas calorias.

A Carina Barlett Boulangerie tem variedade limitada, mas grande qualidade. Inaugurada em 2007, parece uma simpática padaria francesa, com decoração aconchegante e pães expostos em armários de madeira com portas de vidro. Não há espaço para lanchar. Quando escrevo pequeno, é pequeno mesmo: cabem apenas dois clientes – em pé – de cada vez.

No entanto, em uma padaria, o que importa são os pães. E os criados por Carina Barlett são muito bons. Em nenhuma receita é usada gordura vegetal, apenas manteiga, a Aviação, "a melhor nacional", como fez questão de ressaltar o atendente. Isso, aliado à fermentação natural (à base de frutas ou leite), deixa os produtos muito leves e saborosos.

Provei vários. Como sou formiga, destaco o roullander, um rolinho de massa com canela, maçã e passas, lembra um pouco um pão com chocolate que costumo comprar na Barbarella Bakery (não lembro o nome), mas a massa é superior. A leveza, na minha opinião, é o que caracteriza as criações de Carina. O pão rústico, coberto com sementes de gergelim preto, difere-se um pouco nesse aspecto, é mais duro, um tanto "borrachudo", mas aqui o sabor compensa.

A loja tem ainda um pequeno armário, à direita, com alguns poucos produtos, como geléias e queijos (poucos mesmo, não estou usando de eufemismos nesta postagem). A falta de espaço será corrigida ainda este mês, quando a padaria se muda para a esquina da Vasco da Gama com a Tomás Flores, também no Bom Fim.


Não provei o croissant, especialidade da casa. Por quê? Não estava em um dia de comer croissant. Ou talvez seja apenas uma desculpa inconsciente, caso eu entre na cilada de começar alguma dieta maluca. Aí vou dizer: bah, não dá, ainda tenho que provar aquele croissant!


Vale a pena conhecer:
Rua Barros Cassal, 797
Fone 3311-5643

6 comentários:

Cris disse...

Pena que é tão longe... seria ótimo sentarmos para um café (na sua casa, porque eu não iria querer ficar de pé, ahahah) e uma conversa fora ao sabor destes pães que me deixaram com água na boca só pela descrição. Bjs!

ale disse...

Rosane, também postei no meu blog sobre esse lugar! O croissant é "dos deuses"! Experimentei quase tudo que tem lá e ele ganhou nota 10! Com estrelinha! Bj!

Rosamaria disse...

Rosane

Eu penso como tu, como sem culpa, pq vou comer mesmo...
Vou anotar o endereço para quando for a PoA. Tem outra copmfeitaria no Bom Fim que vou com minha filha (não lembro o nome agora), que tb é muito boa.
Bjim.

edinha disse...

Vim responder à sua pergunta sobre o bacalhau :)
Todas as receitas são com o bacalhau demolhado caso contrário nem se conseguiria comer de salgado.
Beijinhos

Gabriela disse...

Olá,
encontrei teu blog procurando pela Carina Barlett no google. Não sabia o numero na Barros Cassal e estou louca pra visitá-la. Adorei o blog e queria saber se posso linkar no meu, para facilitar meu acesso e disponibilizar para amigos. Também adoro cozinhas e, por algum acaso, faço jornalismo.
Com certeza hoje a noite mesmo venho buscar uma das tuas receitas vegetarianas!
Beijocas

Rosane Vargas disse...

Cris, vamos marcar esse chazinho, nem que seja virtual hehehe.

Ale, gostei muito também, só faltaram uns banquinhos para a gente sentar, né?

Rosa, descobre o nome da confeitaria de que tua filha gosta. Adoro conhecer novos lugares para comer.

Edinha, muito obrigada pela explicação, eu ia comer sal puro hehehe.

Gabriela, bem-vinda. Claro que podes linkar o Batuque. Tentei responder no teu blog, mas não encontrei espaço para postagens.

beijos a todas!